Em VOCÊ SABIA?

Glúten – Mitos e VerDaDes

Tanto tem se ouvido falar sobre ele, mas afinal, o que é o glúten? 😊

Ele é a combinação de dois grupos de proteínas: a gliadina e a glutenina, encontradas dentro de grãos como o trigo, o centeio e a cevada – mais precisamente no endosperma, a reserva nutritiva do embrião da planta. O glúten se forma quando a água é adicionada à farinha de trigo, de cevada ou de centeio e se inicia o processo de mistura da massa, nesse momento a gliadina e a glutenina, antes dispersas no endosperma, que finalmente se encontram e fazem pontes entre si, formando o glúten, que, por sua vez, tem a função de deixar a massa mais elástica para ser trabalhada e, ao mesmo tempo, resistente para não arrebentar quando esticada, como acontece com o pão e o macarrão.  Ou seja, o glúten não é uma invenção da indústria moderna, por exemplo, como a gordura trans, para fazermos uma comparação.

Assim como alguns vegetais, o glúten pode ser usado como fonte de proteína para o corpo, pois melhora o funcionamento do intestino, ajuda na absorção do colesterol, aumenta a sensação de saciedade e serve como fonte de energia. Que o nosso organismo precisa disso, é fato, mas na quantidade necessária para que não haja implicações negativas no futuro. Alguns alimentos ricos em glúten são bastante energéticos e muitos deles têm calorias vazias, como pães, bolos, bolachas, pizzas e cerveja. Devemos ter moderação no consumo dessas iguarias, visto que uma das doenças causadas pelo excesso de glúten é a obesidade.

Ao chegar no intestino, o glúten se torna uma espécie de cola que gruda nas paredes do organismo, saturando o aparelho digestivo e aumentando a gordura na região abdominal, podendo causar diabetes, dores nas articulações, dores de cabeça, alergias e também depressão.

O corte total na ingestão de glúten numa dieta alimentar só deve acontecer quando a pessoa é celíaca, pois neste caso ele provoca uma reação autoimune do organismo, onde as células de defesa atacam o glúten e as paredes do intestino, provocando uma atrofia na mucosa intestinal que impede a absorção de nutrientes. A doença celíaca é uma doença crônica de intolerância ao glúten que deve ter acompanhamento médico e exige a eliminação total dessa proteína da dieta por toda a vida. Os sintomas mais comuns são diarreia, dor, distensão abdominal e inchaço.

Então, se você não tem intolerância ao glúten, não deve se preocupar, porém, assim como em tudo na vida, o equilíbrio na alimentação também é indicado. 😊 O consumo de pães, massas e grãos deve ser de preferência integrais, por serem mais equilibrados em nutrientes, possuírem maior quantidade de fibras e proporcionarem maior saciedade.

Aqui na SEEdS 😊, optamos pela elaboração de nossos saborosos e nutritivos cheeZecakes e Energy Balls sem glúten, sem aditivos químicos ou conservantes, e sem adição de açúcar, pois nossa missão é semear uma alimentação natural, saudável, rica em nutrientes e cheia de sabor. Aventure-se, temos certeza de que você vai amar.

             

Shares 0

Comentários

Escreva aqui

Posts Recentes