Em VOCÊ SABIA?

O Que é um alimento transgênico

 

Os alimentos transgênicos, ou artificiais, como também são chamados, são alimentos criados em laboratório.  Eles passam por algum processo de transformação tecnológica na composição natural de suas sementes, sofrendo alterações especificas no seu DNA, através de técnicas da engenharia genética. São combinações com genes de outros alimentos, a chamada transgenia, para que se desenvolvam com determinadas características, que não as suas naturais, e se tornem mais resistentes a pragas, barateando o custo da produção e tendo maior durabilidade no mercado.

Com a promessa de resolver o desafio da fome no mundo, reduzir o uso de agrotóxicos e oferecer alimentos mais nutritivos e de qualidade superior, estas vantagens alegadas já foram contestadas por uma série de estudos independentes, que comprovam o interesse de países que liberaram o cultivo e a distribuição deste tipo de alimento como fruto do lobby político e econômico, que não condiz com os critérios científicos de biossegurança. Estudos têm apontado uma série de problemas para o homem e o meio ambiente, que derivam do cultivo e consumo dos AGM (alimentos geneticamente modificados), como reações alérgicas, intoxicações, resistência a antibióticos, formação de tumores, declínio da biodiversidade e contaminação genética.

No Brasil, infelizmente, o cultivo dos AGMs foi liberado em 2003, e em 2015, a adoção dos mesmos no país já atingia percentuais assustadores (vide foto).

Hoje, os transgênicos ocupam uma área agrícola de 53 milhões de hectares. A soja lidera com 67% deste total, sendo seguida pelo milho, com 32% de ocupação.

Todos os produtos processados e industrializados, que usam ingredientes transgênicos em sua composição, têm a obrigatoriedade de ter o símbolo de alimento transgênico – o “T” dentro de um triângulo amarelo, no rótulo, na embalagem.

Contudo, atualmente, tramita no senado nacional um projeto de lei que flexibiliza as normas de rotulagem de produtos que utilizam menos de 1% de alimentos transgênicos na sua composição, devido à forte pressão e apoio de grupos que têm interesse econômico nessa medida.  A maioria da sociedade civil, é claro, não apoia esse projeto de lei, uma vez que a população tem todo o direito de ter todas as informações claras sobre o que está consumindo.

Shares 0

Comentários

Escreva aqui

Posts Recentes